Saturday, 24 September 2016

29, JÁ?


A menina do desenho sou eu (vá, faz de conta) cada vez que me lembro que hoje, 24 de Setembro de 2016, faço o raio de 29 anos. VINTE E NOVE. 



Não quero. Vou bater o pé e fingir que este dia não está a acontecer. Odeio fazer anos. Não é a coisa do envelhecer, cabelos brancos, rugas e companhia. Nada disso. É só mesmo envelhecer e ainda ter a minha vida de pernas para o ar. Diz a minha psicóloga (não sabiam que tinha uma? pois tenho e é a melhor coisa de sempre) que quando não se gosta de fazer anos é porque sentimos que não temos nada de bom para celebrar. O que é mais ou menos o caso. Só mais ou menos. Tenho carradas de coisas boas na minha vida e os melhores amigos do mundo. Só não estou onde queria estar.

E depois aquela coisa de as pessoas que nunca nos dizem nada o ano inteiro serem um poço de simpatia e virem todas delicodoces para cima de nós como se fossemos bff? Não há grande pachorra, embora cada um de nós faça exactamente a mesma coisa nos aniversários alheios...  

Já para não falar de um dia inteiro agarrada ao telefone a falar com tios e primos cujos nomes desconhecemos, amigos dos pais, bochechas doridas de tanto sorriso amarelo. Opá ninguém merece, não é? No fundo, no fundo só quero ir dormir a sesta... 



E as desilusões habituais de quem era suposto lembrar-se de nós nestes dias mas que 'tá quieto. Acho que isso é do que mais custa. (Nota-se que sou uma pessoa muito amarga, não nota?)

E depois há o fenómeno do cantar os parabéns... Felizmente já todos sabem que não sou fã da coisa...


Bom. É isto. Não curto a cena. Isto sou eu todo o santo ano. Lá para o meio de Agosto começo a ficar insuportável com a ideia de fazer anos.  Odeio profundamente aquele momento da meia-noite. 

Mas depois à medida que o dia vai passando, dá-se um fenómeno estranho: o meu humor começa a melhorar consideravelmente. 
"Ah x e y lembraram-se de mim!"
"Que mensagem amorosa!"
"Isto afinal não é assim tão mau!"



E a verdade é que cá estou. Mais um ano a sobreviver e cheia de histórias para contar. Quem diria, há um ano atrás, que hoje estaria para aqui entretida com um pequeno negócio de sabonetes?  Eu não, de certeza! E a soap tem sido um salva-vidas. Assim um projecto anti-inutilidade. 
Na verdade, o ano não correu assim tão mal. Há muitas coisas para celebrar. Para começar só o facto de existir (embora não tenha pedido a ninguém pa vir ao mundo lol) e resistir aos testes intermináveis desta vida.  Cada ano mais forte, cada ano mais segura, cada ano melhor. Afinal é como diz o outro... Eu não faço anos, subo de nível.


E os 29 vão ser incríveis. É cá um feeling que tenho... Por isso:




6 comments

  1. Parabéns Maria! Tu mereces tudo do bom e do melhor. És uma boa moça e a tua simpatia não acaba. Obrigada pela tua amizade, tens me mostrado muita coisa (por vezes sem tu saberes) Continua assim e muita força :D beijinhos

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada! Esse foi um comentário mega querido, Tim <3

      Delete
  2. Pois eu adoro fazer anos! Este ano ainda não estava muito no espírito, mas já começo a ficar mais entusiasmada. Percebo o que queres dizer com isso de sentir que não estamos ainda onde queríamos estar e a passagem de um novo ano acentuar essas coisas, mas havemos de lá chegar! Parabéns!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada M :) E é isso: havemos de lá chegar

      Delete
  3. Parabéns e que esse feeling de que os 29 vão ser bons seja verdade :D
    Também não sou grande fã de fazer anos, é um dia para esquecer e todos os anos a história se repete

    ReplyDelete
    Replies
    1. Obrigada :)
      E haja alguém que me compreenda!

      Delete

Bem-vindo e obrigada por deixar a sua (educada) opinião. A resposta ao comentário será sempre dada aqui.

© NUDE LIFE
Maira Gall